Afinal, pode morrer-se de (des)amor

1458754507953986.jpgHoje é dia Mundial do Coração.

Partilho aqui um artigo sobre os efeitos físicos que sofremos quando nos partem o coração. O desamor mata, um coração partido não é um cliché, um coração partido é uma catástrofe emocional e física. Tomem bem conta dos vossos, e dos dos outros.

 A verdade é que este acontecimento não nos afeta apenas psicologicamente. O nosso corpo também sofre com as mudanças.Especialistas das Universidades de Los Angeles, Toronto e Kentucky explicaram de que forma o nosso organismo se altera perante uma situação destas.

1. Nos momentos a seguir à rejeição, o ritmo cardíaco desce bastante.

2. Assim que nos apercebemos do que se está a passar, surge o momento de stress (‘Será que a culpa foi minha? O que é que eu fiz?’). Este pode dar cabo do sistema nervoso simpático, o que leva ao aumento dos níveis de cortisol e de inflamações. O sono, a digestão e o sistema imunitário podem sofrer com estas alterações.

3. Às vezes parece que sentimos uma dor física. Isso acontece porque as regiões do cérebro que processam a dor de uma rejeição ou perda também são responsáveis pelo processamento da dor física.

4. Deixa de pensar de raciocinar e começa a ser mais impulsivo/a do que o normal. Vários estudos mostram que uma rejeição afeta o autocontrolo e o pensamento crítico.

5. As áreas do cérebro que ‘funcionam’ quando estamos sob o efeito de estupefacientes ou quando temos o desejo de consumir uma substância viciante começam a reagir assim que temos vontade de ver uma fotografia da pessoa que nos rejeitou. No entanto, as partes do cérebro responsáveis pelo controlo de comportamentos de adaptação (os que nos fazem pensar ‘Tens de andar para a frente!’) também são acionados.

6. Nos primeiros tempos, as únicas pessoas com quem falamos são o senhor que entrega as pizzas e a farmacêutica. Quando nos começamos a sentir demasiado sós – já não falamos com amigos ou familiares há dias e dias… E até já começamos a sentir falta dos comentários absurdos ou das piadas sem graça nenhuma -, os níveis de progesterona começam a aumentar. Esta é a hormona que nos vai ajudar a ir ‘à procura’ de contacto social.

7. Meses mais tarde, mesmo que já tenha ultrapassado tudo o que aconteceu, ainda pode notar algumas alterações no organismo: uma maior queda de cabelo, por exemplo.

Anúncios

One thought on “Afinal, pode morrer-se de (des)amor

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s