An almost short story

gfggffgffg

Ele saiu no piso 3 e ela no 5. Ele disse, duas vezes em baixo tom enquanto a fitava, que era aquele o seu andar. Ela sabia-o, sabia-o desde a noite anterior, decorou-lhe tudo desde que o viu a primeira vez. Naqueles segundos, de olhos perdidos um no outro, enquanto subiam juntos no elevador, sabiam que tinham uma escolha a fazer. Sair no mesmo piso, num rasgo inconsequente, ou sair cada um para o seu destino, separados. Mas os segundos, os poucos em que demorou aquela viagem de elevador, não foram suficientes para abafar a sua moralidade. Não foram o suficiente para que deixassem para trás as histórias que tinham acabado de confessar um ao outro, cheias de moralidades e defesas de honra. Confissões cruas de quem teve o coração pontapeado. A honra não se poderia ter perdido assim, em segundos, mesmo que mergulhados nos olhos um do outro, naqueles segundos até ao 3 andar. Mesmo que vivessem, assumidamente,  os dois a serem escamotaeados pela falta de honra de quem um dia escolheram, num piscar de olhos, honrar. Ela saiu no 5 andar, depois de ele ter saído no 3 e questionou-se.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s